segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

13 de Fevereiro de 2500 a.C. – Os 347 maiores e primeiros pintores

Desde que que o Brasil se tornou a maior potência do mundo tudo no país se tornou o maior e o melhor. Os ventiladores ventilam mais forte, as folhas têm mais nutrientes para as plantas, os humoristas nacionais são os mais engraçados, e dos poetas, dramaturgos e escultores nem se fala. [Claro que tudo isso gera rebeliões de países como os (quase) desconhecidos Estados Federados (o nome que os antigos Estados Unidos ganharam após a Revolução de maio de 2008) a Inglaterra do Rei Artemidoro II (que tem esse nome em homenagem ao Brasil, por ser nome que só existe aqui) e o Japão do Primeiro-Ministro Carlos Nissei (inevitavelmente filho de brasileiros)].

Era portanto inevitável que a Gruta Maxência [descoberta ao Sul do Piauí] se afirmasse como a maior e mais bela do mundo. Dos muitos estudos [conduzidos por brasileiros ou por estrangeiros deslumbrados com o Brasil] uma maioria [que não deixou de ser suspeita ao grupamento agnóstico] alegou haver indícios fortes de que os primeiros pintores da história [o número dos quais suspeitíssimas pesquisas estabeleceram na precisa quantidade de 347] já pressagiavam a futura grandeza do país, e pintaram gazelas com graça, leões de fulva e basta juba, e elefantes cujo poder só rivalizaria com o do Regime Central [uma breve e intragável ditadura (embora disfarçada) que dominou o país entre 1994 e 1996].

Há quem conteste. Mas essas vozes, como sempre, ficam nas margens e ninguém as ouve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário