segunda-feira, 24 de abril de 2017

11 de Abril de 1947 – O Tratado sobre a Irrelevância do Brasil

O Tratado sobre a Irrelevância do Brasil [publicado hoje em seis capitais] provocou uma incomum onda de debates.

Primeiro devido a seu subtítulo. A obra [coletiva e de autores anônimos] tinha a subinscrição O Elogio da Pureza.

Depois pelo seu [aparentemente terrível] timing. O livro apareceu apenas dois dias após o desfile da 19ª Divisão de Cavalaria Blindada Acreana [apelidada de A Borrachuda] na Avenida Lipscani de Bucareste – fato que [hoje se sabe] marcaria a mais longínqua conquista de capital pelo que os movimentos terroristas estadunidenses denominavam de Odioso Imperialismo Brasileiro. [Claro que, na época, especulava-se sobre uma possível chegada a Moscou, e assim a conquista da Romênia não passou de nota secundária].

Mas o que chamou a atenção para a obra [além de sua (quase) miraculosa permissão por parte da SKQN, a Polícia Política] consistiu no ataque que se fez à Mistura, tão louvada como a fonte do Poder Brasileiro pelo governo do Conselho dos Dezoito, então no Poder. [De fato, o grande impulsionador desta ideologia tinha sido o regime golpista do General Delgado Salazar, sete décadas antes]. Para a obra, a Mistura Cultural e todas as outras misturas geram povos e regimes fracos, e deve ser evitada.

Ninguém nunca soube quem foram os autores, apesar dos esforços na SKQN. O sigilo pode ter sido prudência dos escritores. Outra [inevitável] versão diz que foi o próprio Regime que lançou tal obra. Com qual propósito, só Deus sabe [se é que Ele sabe].

Nenhum comentário:

Postar um comentário